Entrevista/ Magali Polida


Sinopse 

O bicho é um movimento brusco, e esse movimento pode tender para águas tranquilas ou para o fogo, que se apagou, mas deixou as brasas, que ferem do mesmo jeito. O bicho é violento, é irracional. Conflita-se com o amor, que é sereno. Esse movimento, eu busco. O amor não é luto, não é luta, é vencedor. Somos nós, homens e mulheres, os bichomemulheres que precisamos lutar para acreditar que ele existe e que podemos vivê-lo em sua plenitude.

Que tipo de escritor/livro te influenciou? 

Impossível dizer que nenhum autor tenha nos influenciado. Talvez nenhum, diretamente, para um livro em especial. Como eu posso dizer que nenhum autor me influenciou na escrita do meu livro de poesias A Menina do Panapaná. Já no livro Bichomemulher, enquanto o escrevia, lia diversos livros, e decerto que eles, diretamente ou não, influenciaram o que eu escrevia. 

Alguma vez já pensou em desistir?

Que fique claro que autor é quem escreve e não quem lança o livro. Com esse pensamento, nunca tive medo de desistir de escrever, pois sei que não vai acontecer. Agora, lançar um livro requer dinheiro, daí “já são outros quinhentos.” Como disse nossa querida Virginia Woolf, “para ser escritora é preciso dinheiro e um teto todo seu” em seu livro Um teto todo seu. Nesse caso, desiste-se o tempo todo. É muito desgaste. 

De seu livro qual personagem é o seu favorito? Por que? O que ele significa para você? 

Os personagens dos meus livros são meus amigos, meus vizinhos, os estranhos do ponto de ônibus, os professores da faculdade, os professores do meu ambiente de trabalho, já que também leciono. São os alunos, os pedintes, os enfermos em seus hospitais solitários, os excluídos. Mas se eu tenho um personagem favorito, posso dizer que é a Priscilla Miranda, que é a menina do panapaná. Esse personagem significa as possibilidades. A esperança. A fé. 

Você utiliza algum material como referência para escrever, ou é pura e simplesmente inspiração momentânea?

A inspiração é sempre inesperada. A não ser que alguém me peça algo em especial, daí eu penso e escrevo. No caso do romance que eu estou escrevendo A mulher da mala marrom, que nada tem a ver com O homem da mala marrom de Agatha Christie, porém pela semelhança entre os títulos, fico instigada a ler novamente o livro da autora. Um outro caso acontece no livro que escrevi e está prestes a ser lançado, o Como vai o mundo? Volver de Almodóvar. O livro não foi inspirado no filme, mas o título casa direitinho com meu livro. 

Qual é o seu escritor preferido dentro de cada gênero literário? 

Machado de Assis /Jane Austen – Romance Anton Tchecov – Contos Rubem Alves – Crônicas Paulo Leminski/Joel Marcos – Poesia Virginia Woolf – Ensaio Anne Frank – Biografia William Shakespeare – Teatro Qual é a sua opinião sobre os novos livros da literatura Brasileira? Leio, curto, compartilho e indico: Lilian Farias, Davi Drummond e Zi Nunes. 

Como é a sua rotina de trabalho?

Escrevo o tempo todo. O tempo todo mesmo. Leciono à tarde e estudo à noite. Como escritora, acredito que você tenha vários blogs parceiros, ou seja, qual é a maior vantagem e desvantagem nisso? Não vejo desvantagens. Mesmo quando as trocas não foram as esperadas, ainda assim houve aprendizado. A sua obra já sofreu algum tipo de preconceito literário? O título do meu último livro causou alguns rebuliços. Bichomemulher. Tudo o que envolve o ser humano é sempre um pouco polêmico. Mas nada que me tirasse do eixo. 

Quando publicou o seu livro sentiu algum medo? E qual foi? 

O medo é gradativo. Vai crescendo conforme os livros vão sendo lançados e seus nomes divulgados. Cresce a responsabilidade. Gosto de cuidar das pessoas. Tenho muito carinho e cuidado também pelos meus leitores. Fico receosa de acharem que estou sendo relapsa ou ausente. E sabemos, que por vários motivos a vida nos faz recuar. 

Que mensagem você gostaria de mandar para seus leitores? 

Cuidar das pessoas é minha alegria. Deixo essa frase de Gabriel Garcia Márquez: “Ele sentou-se a seu lado, mastigou com deleite uma almojávena da cestinha e disse com a boca cheia: Tem gosto de glória.". Do gosto que têm os meus leitores. 

Você é uma autora nacional, ou seja, o que você acha que poderia ser feito para melhorar as oportunidades nesse mundo literário? 

 Nos divulgamos através dos blogs, páginas no facebook e tantos outros meios/redes de comunicação virtual, mas ainda há pouco espaço nas bienais, nas flips e nas mídias. E quando há, o custo é alto.





19 comentários:

  1. Olá.
    Gostei bastante da entrevista e da oportunidade de conhecer a escritora. Boa sorte para o blog em 2016 e pra autora! Quero saber mais sobre o livro dela.
    Beijos
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Adoro conhecer novos escritores, a entrevista está super bacana, confesso que tenho um problema com livro de poesia rsrs mas adorei o título do livro e me deixou curiosa, quem sabe não o leia em 2016.
    Sucesso
    Bjs
    http://nosleitoras.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Gostei muito da entrevista, confesso que não conhecia a autora, e nem sou MUITO FÃ de livros de poesia, só que estou mudando esse QUADRO e comecei a ler uns 2 ontem. Acho que esse é o livro que eu colocaria na minha estante para arriscar.

    http://garotinhaadolescentea.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiii, eu adoro essa autora, ainda não li o livro, mas tenho ela no Facebook e me encanto pelo jeito que ela é, muito queridinha.
    Adorei a entrevista <3
    Beijooos
    segredosliterarios-oficial.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    É muito bom quando e entrevistmos um autor e conhecemos um pouco mais deles e do que inspiraram suas obras neh?!
    Acho esse contato muito importante.
    Parabéns, a entrevista ficou bacana e as perguntas pertinentes.
    Um abraço
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Adorei a autora e a entrevista, espero ter oportunidade de ler o livro em breve!
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, achei ótima essa última citação sobre o vinho. Gostei muito da entrevista, me deixou mais curiosa para ler o livro dela.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Que legal a entrevista e também conhecer a autora (não conhecia ela). Gostei de saber um pouco sobre sua rotina de trabalho, seus escritores preferidos (Jane Austen <3). Parabéns pela entrevista ;)

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Muito bom a entrevista. Eu não conhecia a autora. E é muito bom saber da história e do processo de escrita dos autores. Não sei se leria o livro, mas acho muito legal quando os blogueiros cedem espaço para os autores nacionais. :)
    Parabéns pela entrevista.
    Beijos
    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  10. Maga é uma fofa, e adorei as respostas dele, as referências que ela usa. Tem como não amar?

    ResponderExcluir
  11. Maga é uma fofa, e adorei as respostas dele, as referências que ela usa. Tem como não amar?

    ResponderExcluir
  12. Caramba, que entrevista mais maravilhosa! Perguntas pertinentes, que saem do estritamente óbvio, e as respostas da Magali foram muito boas! Estou aqui me roendo de vontade de ler o livro. :)
    Beijo grande,
    Mona
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal